Greves e protestos em 18 de agosto serão temas da ‘live’ do Sindest Santos nesta terça-feira

Agosto será um mês decisivo para a luta dos 10 milhões de servidores públicos municipais, estaduais e federais contra a proposta de emenda constitucional (pec) 32-2020, da reforma administrativa.
Nesta terça-feira (3), no retorno das atividades do congresso nacional, haverá um grande protesto, em Brasília, a partir das 8 horas, com caravanas sindicais das cinco regiões do país.
No dia 18, uma quarta-feira, haverá protestos, greves e paralisações nos serviços públicos previamente determinadas e organizadas por assembleias de mobilização em todo o país.
Nesse mesmo dia 18, as greves, paralisações e mobilizações dos servidores serão apoiadas pelos protestos de rua como os de 29 de maio, 19 de junho, 3 e 24 de julho.
O dia nacional de luta foi decidido em plenária de 5 mil servidores, na quinta e sexta-feira passadas (29 e 30). Também na sexta (30), a comissão organizadora dos protestos de rua resolver participar.

‘Live’
do Sindest

Toda essa agenda, que inclui várias outras atividades, inclusive nesta semana, serão detalhadas na ‘live’ do Sindest desta terça-feira (3), às 19 horas, com transmissão pelo Facebook e Youtube.
Sindest é o sindicato dos 12 mil servidores municipais estatutários e 4 mil aposentados de Santos, cujas ‘lives’ semanais, toda terça-feira, alcançam grande audiência de público interno e externo.
Mediado pelo jornalista Willian Ribeiro, o programa terá participação do presidente Fábio Marcelo Pimentel e do diretor de comunicação do Sindest, Daniel Gomes.
Os convidados serão os presidentes dos sindicatos dos servidores municipais de Atibaia e Cafelândia, Edna Souza e Reginaldo Silva, que falarão sobre a campanha contra a ‘pec’ em suas regiões.

Telma
de Souza

A audiência pública na câmara municipal de Santos, na sexta-feira (6), sobre a reforma, convocada pela vereadora Telma de Souza (PT), por sugestão do Sindest, também será tema da ‘live’.
O tema da audiência no legislativo, presencial e virtual, será ‘Os retrocessos da reforma administrativa do governo federal’, com participação de Telma, Fábio e convidados.
Entre eles, os presidentes dos sindicatos de servidores municipais de Guarujá, Praia Grande e São Vicente, Zoel Garcia Siqueira, Adriano Roberto Lopes da Silva ‘Pixoxó’ e Edson Ramos Paixão.
O presidente da confederação dos servidores públicos do Brasil (CSPB) e coordenador nacional do movimento ‘Basta’, João Domingos Gomes dos Santos, participará do evento.

Denunciar
parlamentares

Cristina Helena Silva Gomes, presidente do sindicato dos servidores de Itapira e coordenadora estadual do ‘Basta’, movimento de alcance nacional contra a ‘pec’, estará presente.
A diretora financeira do sindicato dos servidores de São Vicente e coordenadora ‘Basta’ na baixada santista e litoral, Mara Valéria Giangiulio, também participará da audiência.
A plenária nacional da semana passada decidiu intensificar as audiências nas câmaras e nas assembleias legislativas, assim como visitar prefeitos e governadores, esclarecendo-os sobre a ‘pec’.
A plenária decidiu também pressionar os deputados federais, por meio de e-mails, redes sociais, telefonemas e pessoalmente, para que votem contra a reforma, denunciando os que se posicionam a favor.

Problema é
juros da dívida

Nesta terça-feira, em Brasília, a recepção aos trabalhadores, pela manhã, será na esplanada dos ministérios. E a concentração do ato público será às 12 horas, logo após o almoço, no pátio do museu nacional.
Às 14 horas, terá início a passeata em defesa dos serviços públicos, em direção à Praça dos Três Poderes, contornando o congresso nacional e retornando à esplanada.
No sábado (31), houve audiência pública da câmara de São José do Rio Preto (SP), com participação da coordenadora nacional do movimento pela auditoria da dívida pública, Maria Lúcia Fattorelli.
Ela disse que o grande problema das finanças do estado não está nos servidores, mas sim no pagamento de juros da dívida pública, que consome quase metade do orçamento federal anualmente.

Bolsa do estado
para Paulo Guedes

Nessa audiência, o presidente da federação dos sindicatos de servidores públicos municipais do estado de São Paulo (Fesspmesp), Aires Ribeiro, revelou que a média salarial da categoria é de R$ 2,7 mil.
O assessor parlamentar, consultor sindical, ex-diretor do Dieese e do Diap, Vladimir Nepomuceno, por sua vez, criticou a reforma e seu autor, o ministro da economia, Paulo Guedes.
Segundo ele, o ministro, que trabalha pelo estado mínimo, estudou na universidade de Chicago (EUA), com bolsa fornecida pelo CNPQ (conselho nacional de desenvolvimento científico e tecnológico) do Brasil.
Fábio Pimentel também participou da audiência e disse que a reforma administrativa, “além de prejudicar os servidores, prejudica mais ainda a população, que será privada dos serviços públicos”.

Dois
‘links’

Abaixo, dois ‘links’. Um do movimento ‘não à pec 32’, com detalhes da campanha. E outro da audiência pública da câmara de Ribeirão Preto, com ótimas apresentações de Maria Fattorelli e Vladimir Nepomuceno.
https://naoapec32.com.br/
https://www.facebook.com/watch/live/?extid=NS-UNK-UNK-UNK-IOS_GK0T-GK1C&v=567655337977077&ref=watch_permalink

Siga e Compartilhe
error0

Sem Comentários

Você pode postar primeiro comentário resposta.

Deixe Um Comentário

Por favor, insira seu nome. Digite um endereço de e-mail válido. Digite uma mensagem.