Na foto, chamada do sindicato dos estatutários para o programa desta semana

O conceituado infectologista de Santos Marcos Montani Caseiro estará na ‘live’ do sindicato dos servidores estatutários, às 19 horas desta terça-feira (30), sobre a importância do ‘lockdown’.
Os resultados e impactos do bloqueio total ou confinamento na vida dos cidadãos e funcionários públicos da baixada santista serão debatidos no programa, transmitido por Facebook e Youtube.
Marcão, como é conhecido por seus pacientes no hospital estadual Guilherme Álvaro e alunos das universidades Lusíada, Unisanta e São Judas Tadeu, virou referência em covid-19.
Formado pela Unifesp (universidade federal de São Paulo), o médico tem sido consultado por prefeituras da região e entrevistado seguidamente pela imprensa sobre a contaminação do novo coronavírus.
Com mestrado em medicina preventiva pela USP (universidade de São Paulo) e doutorado em infectologia pela Unifesp, Caseiro defende o ‘lockdown’ na região, com final previsto para 4 de abril.

Livre
participação

Nascido em São Paulo, 57 anos de idade, criado em Santos, ele recebeu título de cidadão da câmara municipal por seu trabalho humanizado com pacientes contaminados pelo vírus ‘hiv’.
O tema da ‘live’ será os efeitos da pandemia de covid-19 nos trabalhadores que operam na linha de frente de combate ao novo coronavírus nos hospitais públicos e particulares.
O presidente do sindicato, Fábio Marcelo Pimentel, lembra que a ‘live’ é aberta à participação de servidores e da população, por meio dos ‘chats’ nas caixas de mensagens das duas plataformas.
Em comunicado pelas redes sociais do Sindest, na sexta-feira (26), o sindicalista apelou aos moradores da região que obedeçam ao ‘lockdown’ e fiquem em casa.
“Se você não tem medo de se contaminar, por se achar indestrutível, pense ao menos nos profissionais de saúde que combatem a pandemia nos hospitais e postos da região”.

Secretária
irresponsável

Fábio alertou que “daqui a pouco não teremos mais vagas em ‘utis’ (unidades de tratamento intensivo) para covid-19. Como diz o prefeito (de Santos), estamos perdendo a guerra”.
O dirigente lamentou que, enquanto o prefeito Rogério Santos (PSDB) decreta o ‘lockdown’, a secretária de educação, Cristina Barletta, defende o retorno às aulas presenciais.
Fábio considerou lamentável a atitude da secretária e disse que ela deveria ser ministra de educação do presidente Jair Bolsonaro. “Está na hora do prefeito colocar ordem na casa”.
O presidente ponderou no comunicado que o Sindest vinha lutando pelo fechamento das escolas antes mesmo do ‘lockdown’ e que a secretária se colocava contra a ideia.
“Foi preciso morrer alguns profissionais da educação para a prefeitura se convencer da necessidade de fechamento dos colégios, contrariando a postura irresponsável da secretária”, desabafou.

Siga e Compartilhe
error0

Sem Comentários

Você pode postar primeiro comentário resposta.

Deixe Um Comentário

Por favor, insira seu nome. Digite um endereço de e-mail válido. Digite uma mensagem.