Na foto, chamada do sindicato dos estatutários para mais uma ‘live’ semanal, desta vez às 18 horas

No primeiro dia do ‘lockdown’ (bloqueio total ou confinamento) na baixada santista, o secretário de saúde de Santos, Adriano Catapreta, estará, às 18 horas desta terça-feira (23), na ‘live’ do Sindest.
Sindest é o sindicato dos 12 mil trabalhadores municipais estatutários e 4 mil aposentados. O programa ao vivo será transmitido pelo Facebook e Youtube, com ‘chat’ (caixa de mensagens) aberto.
Podem participar da ‘live’ os servidores e a população. O tema será os efeitos da pandemia de covid-19 nos trabalhadores que operam na linha de frente de combate ao novo coronavírus.
Os segmentos mais afetados são os da saúde, assistência social e segurança, além de profissionais de limpeza, administração, transporte e outras atividades nesses três setores.
O presidente do sindicato, Fábio Marcelo Pimentel, diz que o secretário “é corajoso e adepto da transparência administrativa. Uma ‘live’ dessas não é para qualquer um”.

Servidor
concursado

O sindicalista prevê que a categoria questionará Catapreta sobre vários procedimentos da prefeitura com os profissionais envolvidos no trabalho contra a pandemia.
O presidente do Sindest lembra que, por exemplo, nem todos estão vacinados contra a doença e que o risco de contaminação no atendimento aos infectados é enorme.
“A diretoria do sindicato é muito grata ao secretário por aceitar o convite de participar da ‘live’. Isso demonstra que ele está seguro quanto às iniciativas do executivo nesse momento difícil”, diz Fábio.
Adriano Catapreta é médico e servidor municipal admitido por concurso em 2013. Atuou no instituto da mulher e gestante e na maternidade Silvério Fontes.
O secretário foi médico visitador e posteriormente foi chefe do complexo hospitalar da zona noroeste. Foi também chefe do departamento de atenção pré-hospitalar e hospitalar da secretaria entre 2017 e 2020.

Professor
e cirurgião

Nasceu em 1975, em Barra Mansa (RJ), e formou-se na escola de ciências médicas de Volta Redonda (RJ), em 1999. É também professor universitário.
Em Santos, em 2001, fez residência em ginecologia e obstetrícia, ultrassom e mastologia no hospital estadual Guilherme Álvaro, onde trabalhou por 14 anos.
Foi cirurgião de pacientes com câncer de mama e nas áreas de urologia e ginecologia. Iniciou a carreira de professor universitário no centro universitário Lusíada.
Em 2004, passou a atender também em consultório particular. Tem passagens pela Santa Casa de Santos, Beneficência Portuguesa, Instituto Santista de Oncologia, Casa de Saúde e Hospital Ana Costa.
Em 2008, ingressou na prefeitura, como contratado, passando a atuar na maternidade Silvério Fontes. Ele diz estar preparado para os questionamentos da categoria e da população.

Siga e Compartilhe
error0

Sem Comentários

Você pode postar primeiro comentário resposta.

Deixe Um Comentário

Por favor, insira seu nome. Digite um endereço de e-mail válido. Digite uma mensagem.