Na foto, o presidente do sindicato dos estatutários, Fábio Pimentel, que lança campanha contra funcionamento das escolas

O sindicato dos servidores estatutários de Santos (Sindest) lançou, nesta sexta-feira (5), uma campanha para que os pais não mandem seus filhos para as escolas municipais a partir de segunda-feira (8).
“Quem ama seus filhos e suas famílias não deve mandá-los para os colégios nesta hora de agravamento das contaminações pelo novo coronavírus”, diz seu presidente, Fábio Marcelo Pimentel.
Ele considera “um crime, uma contribuição com o genocídio”, o funcionamento das escolas públicas e particulares nesta que é considerada a pior fase da covid-19, quando os hospitais não comportam internações.
“Se o governo paulista decretou o isolamento com base na fase vermelha de alto risco, a partir deste sábado (5), por 14 dias, não tem cabimento a prefeitura manter as escolas abertas”, diz o sindicalista.
Fábio reclama que o prefeito Rogério Santos (PSDB), além de não determinar o fechamento das escolas que já funcionam há 15 dias, mandou abrir o segmento maternal, a partir de segunda-feira.
“Como que os profissionais terão os cuidados necessários com crianças de colo?”, questiona o presidente do Sindest. “Nessa idade, os pequenos não vão ao banheiro sozinhos”.

Em março, cerca de
3 mil mortes diárias

“Dessa forma”, continua, “o servidor tem que limpar o cocô e o xixi das crianças, trocar as fraldas e roupinhas, segurá-las no colo. Como isso pode ser feito sem perigo de contágio?”.
“A prefeitura diz que tem avental, máscara, luva, jaleco, álcool em gel e tudo que é proteção. Mas duvido. Pode ser que tenha no máximo a máscara e o álcool. Onde esses gestores estão com a cabeça?”.
Ele considera que o funcionamento das escolas municipais coloca nas ruas 12 mil pessoas, contribuindo para a proliferação do vírus. “Então, para que serve o decreto do governador?”, pergunta.
“Estamos numa fase de dois mil mortos por dia. Tem guerra que não mata tanto assim. O próprio ministério da saúde estima que teremos 3 mil mortes por dia em março. Já são 261 mil até agora”.
“Não levem seus filhos para a escola. Isso é o mais sensato que o povo pode fazer agora. Já que autoridades como as de Santos não ligam para a tragédia, vamos fazer nossa parte individualmente”, finaliza Fábio.

Siga e Compartilhe
error0

Sem Comentários

Você pode postar primeiro comentário resposta.

Deixe Um Comentário

Por favor, insira seu nome. Digite um endereço de e-mail válido. Digite uma mensagem.