Na foto, de 6 de outubro, representantes de sindicatos de servidores, no legislativo de Guarujá

Presidentes e diretores dos sindicatos dos servidores de seis cidades da região terão audiência com o presidente da câmara de vereadores de Praia Grande, Ednaldo dos Santos Passos (PSDB), nesta sexta-feira (16).
O encontro, às 11 horas, será sobre o projeto de reforma administrativa do governo Bolsonaro, que atinge o funcionalismo federal, estadual e municipal, prejudicando também os serviços públicos.
O presidente do sindicato de Praia Grande, Adriano Roberto Lopes da Silva ‘Pixoxó’, que marcou a audiência com Ednaldo, também convidou os demais vereadores e espera “uma reunião bastante positiva”.
Para o sindicalista, a reforma do governo federal, “ao contrário do que diz a propaganda na tevê e outras mídias, não trará nenhum benefício para os servidores que atendem a população no seu dia a dia”.
Além do sindicato local, participarão da audiência os de Santos, Guarujá, São Vicente, Cubatão e Mongaguá. Em 6 de outubro, a câmara de Guarujá aprovou, por unanimidade, moção de repúdio à reforma.

Ampliar
a campanha

O presidente do sindicato de Guarujá, Zoel Garcia Siqueira, propõe que, além das câmaras legislativas, o grupo agende também visitas a outros setores representativos da população.
Ele já está em contato com a entidade que representa as associações de bairros guarujaenses e procurará dirigentes da CUT (central única dos trabalhadores), Força Sindical e outras centrais.
“Vamos envolver todos nessa luta contra a reforma feita a mando do fundo monetário internacional (FMI), banco mundial (Bird), banco central do Brasil (Bacen) e outros tentáculos do capital financeiro”, diz Zoel.

Preparando
o seminário

O presidente do sindicato dos estatutários de Santos (Sindest), Fábio Marcelo Pimentel, diz que “caminham bem” os preparativos para o seminário previsto para final de outubro ou começo de novembro.
O evento, segundo ele, por meio de videoconferência, poderá ter participação do Dieese (departamento intersindical de estatística e estudos socioeconômicos) e da auditoria cidadã da dívida.
Fábio pondera que os profissionais de saúde, de educação e segurança, por exemplo, serão os prejudicados, enquanto magistrados, militares de alta patente e outros privilegiados nada sofrerão.

Apoios de
outras categorias

E já começam a surgir apoios de outras categorias à luta dos servidores contra a reforma administrativa, como o do presidente do Sindimoto Baixada, Alessandro Monteiro ‘Sandro’
“Além de penalizar os servidores, a reforma indica o desmonte estrutural dos serviços públicos prestados à população”, diz o representante regional dos entregadores ‘motoboys’.
José Carlos Gomes, assessor do sindicato dos trabalhadores em autoescolas, diz estar “ansioso para ver os trabalhadores se organizarem na reconquista dos direitos roubados. Que a luta comece pelos servidores”.

Siga e Compartilhe
error0

Sem Comentários

Você pode postar primeiro comentário resposta.

Deixe Um Comentário

Por favor, insira seu nome. Digite um endereço de e-mail válido. Digite uma mensagem.