Na foto, o presidente do sindicato dos estatutários, Fábio Marcelo Pimentel

O presidente Fábio Marcelo Pimentel e diretores do sindicato dos servidores estatutários municipais de Santos (Sindest) começarão a semana conversando com os vereadores.
Eles visitarão todos os gabinetes, a partir desta segunda-feira (17), pedindo apoio dos parlamentares para rejeição de um projeto de lei da prefeitura que altera a lei da gratificação de titularidade.
O prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), “sorrateira e covardemente”, nas palavras de Fábio, enviou o projeto ao legislativo na sexta-feira (14), “sem qualquer conversa com o sindicato”.
“Foi covarde porque não teve coragem de assinar o projeto”, desabafa o sindicalista. “Ausentou-se do cargo e deixou a ingrata tarefa para o vice-prefeito”, Sandoval Soares (PSDB).
O presidente do Sindest reclama que soube da medida pelas redes sociais. E diz que repudia “veementemente o ato pusilânime do prefeito de se esconder atrás do poste, seu vice”.
Fábio entende que Paulo Alexandre “aproveitou-se da sexta-feira atípica, com as atenções voltadas à greve geral, para mandar ao legislativo um projeto que fere acordo com o sindicato”.

Desrespeito pago na mesma moeda
Ele recorda que a gratificação de titularidades para o pessoal de nível técnico foi negociada na campanha salarial de 2016 e integrou o plano de carreiras do funcionalismo.
“O que se espera de qualquer patrão, e mais ainda de um prefeito, é que respeite os acordos”, pondera o sindicalista. “Mas o que vemos aqui é uma aberração em prejuízo dos trabalhadores públicos”.
“Como ele não respeitou o sindicato e os servidores, mandando o projeto diretamente aos vereadores, também não vamos procurá-lo. Preferimos tratar diretamente com os parlamentares”.

Siga e Compartilhe
error0

Sem Comentários

Você pode postar primeiro comentário resposta.

Deixe Um Comentário

Por favor, insira seu nome. Digite um endereço de e-mail válido. Digite uma mensagem.