Fim do imposto sindical beneficia empresas e empregadores como prefeituras, mas muitos trabalhadores aplaudem.
Crise financeira do sindicalismo brasileiro fará Sindest mudar da sede própria na rua Monsenhor Paula Rodrigues, 73, para uma alugada, na avenida Afonso Pena, 123
.
A mando do capital financeiro internacional e da elite econômica brasileira, o governo golpista de Michel Temer (mdb) e Fernando Henrique Cardoso (psdb) deu algumas duras pancadas nos trabalhadores.
A reforma trabalhista praticamente soterrou a histórica consolidação das leis do trabalho (clt), que desde 1943, feita por Getúlio Vargas, garantia direitos básicos dos assalariados.
Não contentes em revogar os direitos, os golpistas acharam por bem destruir os principais instrumentos de luta da classe
trabalhadora, que são os sindicatos e suas instâncias superiores.
Para isso, acabaram com o imposto sindical, decisão aplaudida obviamente pelas empresas e empregadores em geral, inclusive públicos, como as prefeituras, mas também, infelizmente, por muitos trabalhadores.
Nossa sede própria funciona num prédio de quatro andares, com elevador e boas acomodações para receber os associados e dependentes.
Infelizmente, não conseguimos mais mantê-la. O gasto é muito grande. Mudaremos, entre o final de junho e começo de julho, para uma casa alugada, mais modesta, na avenida Afonso Pena, 123.
O novo local, embora menor, tem plenas condições de atendimento da categoria, porém com menor impacto de gastos no orçamento. A sede própria será alugada.

Siga e Compartilhe
error0

Sem Comentários

Você pode postar primeiro comentário resposta.

Deixe Um Comentário

Por favor, insira seu nome. Digite um endereço de e-mail válido. Digite uma mensagem.