Não houve acordo na mesa-redonda entre a prefeitura e o sindicato dos servidores estatutários municipais de Santos (Sindest), na tarde desta quinta-feira (16), no escritório local do ministério do trabalho e emprego.
Os três secretários municipais enviados ao encontro pelo prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) apenas repetiram a proposta que já havia sido feita ao sindicato e rejeitada em assembleia.
“Foi um pau danado, durante duas horas, sem que chegássemos a um acerto”, reclama o presidente do Sindest, Fábio Marcelo Pimentel, que foi acompanhado por quatro diretores e um assessor jurídico.
Segundo ele, os secretários de gestão, finanças e saúde, Carlos Teixeira Filho ‘Cacá’, Maurício Franco e Fábio Alexandre Fernandes Ferras, não ofereceram nada de novo.
“Apenas propuseram 5,35% sobre o vale-refeição e a cesta-básica, mas nenhum percentual nos salários”, se queixa o sindicalista. Diante disso, a reunião foi suspensa e será reaberta no começo da semana.
O diretor jurídico do sindicato, Josias Aparecido da Silva, lembra que a mesa-redonda foi requerida pela entidade, que também pediu a mediação da câmara municipal no conflito.
Fábio diz que o sindicato “procura abrir portas e não fechar”. Segundo ele, o presidente da câmara, Adilson Júnior (PTB), convocará outros vereadores para uma negociação com a prefeitura.
O Sindest também já requereu intermediação do ministério público do trabalho (mpt), com a mesma sugestão de que a prefeitura seja chamada a negociar.

Sindicato dos Servidores Estatutários Municipais de Santos (Sindest NCST).
Rua Monsenhor de Paula Rodrigues, 73, Vila Mathias, Santos, 13-3202-0880, contato@sindest.com.br , www.sindest.com.br .
Presidente: Fábio Marcelo Pimentel. Diretor de imprensa: Rogério Catarino. Redação: Paulo Passos MTb 12.646, matrícula sindical 7588 SJSP.

Siga e Compartilhe
error0

Sem Comentários

Você pode postar primeiro comentário resposta.

Deixe Um Comentário

Por favor, insira seu nome. Digite um endereço de e-mail válido. Digite uma mensagem.