População poderá ser prejudicada com greve nas escolas, no serviço de saúde
e até no ‘poupa tempo’, diz Sindest

A prefeitura de Santos está intransigente com as reivindicações dos 11 mil
servidores na campanha salarial deste ano. E isso prejudica, além da
categoria, o comércio e a população.
Com base nesse raciocínio, o sindicato dos servidores estatutários
municipais de Santos (Sindest) promoverá ato público, na praça Mauá,
sexta-feira próxima (17), das 14 às 18h30, aberto à população.
Durante a semana, a diretoria distribuirá panfleto ao funcionalismo e também
ao povo, nos locais de trabalho, nas ruas e estabelecimentos comerciais do
Centro, convidando para o evento.
“Até agora, o prefeito sequer aceitou negociar, apesar da data-base de 1º de
fevereiro já ter passado. Os salários do mês, portanto, não terão aumento”,
reclama o presidente do sindicato, Fábio Marcelo Pimentel.
Pode ser até que, durante esta semana, segundo ele, o executivo resolva
aplicar um “pequeno índice sobre os salários de janeiro, mas com certeza não
atenderá as necessidades da categoria”.
“Com o poder de compra achatado, o servidor acaba por consumir menos,
prejudicando o comércio. E caso permaneça a intransigência, haverá greve,
prejudicando a população”, diz o panfleto.
“Contaremos principalmente com o funcionalismo na manifestação, mas pedimos
que a população também passe por lá e dê aquele voto de solidariedade”,
registra o material.
A decisão foi aprovada em assembleia na quinta-feira (9). Na quarta (8), o
sindicato fez o primeiro ato público na praça. Nesta sexta (10), a
prefeitura chamou o sindicato, mas não apresentou proposta.

Afronta
Sobre essa reunião, na prefeitura, na tarde de hoje (10), Fábio diz que “o
sentimento é de insatisfação. O prefeito fez propaganda eleitoral enganosa
para o funcionalismo”.
O sindicalista reclama que o prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) “mandou
seu secretário de gestão, Cacá Teixeira, dizer que a pauta de reivindicações
está em estudo”.
“Como em estudo?”, questiona o presidente do Sindest. “As reivindicações
foram protocoladas em novembro. Quanto tempo eles precisam para
estudá-las?”.
“Mais uma vez, o executivo dá nova demonstração de desrespeito com o
funcionalismo. O prefeito convocou uma reunião para apresentar absolutamente
nada. Isso é uma afronta”.

Sindicato dos Servidores Estatutários Municipais de Santos (Sindest NCST).
Rua Monsenhor de Paula Rodrigues, 73, Vila Mathias, Santos, 13-3202-0880,
contato@sindest.com.br , www.sindest.com.br .
Presidente: Fábio Marcelo Pimentel. Diretor de imprensa: Rogério Catarino.
Redação: Paulo Passos MTb 12.646, matrícula sindical 7588 SJSP.

Siga e Compartilhe
error0

Sem Comentários

Você pode postar primeiro comentário resposta.

Deixe Um Comentário

Por favor, insira seu nome. Digite um endereço de e-mail válido. Digite uma mensagem.